Feira

Francal gera boas expectativas para o setor calçadista

Governador de São Paulo visitou a feira no primeiro dia e foi recebido por diretores e empresários

 

Matéria publicada no site da FACESP – Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo, comenta os corredores cheios, 350 expositores de todo o Brasil e outros 25 internacionais, 31 empresas de Tecnologia para o Varejo, Arquitetura, Equipamentos e Serviços para lojas da Francal 2019.

Segundo o texto, de acordo com a Abicalçados (Associação Brasileira das Indústrias de Calçados), há uma expectativa de crescimento entre 0,4% e 2,3% no consumo interno neste ano, podendo chegar a mais de 870 milhões de pares produzidos.

Para o presidente da Francal Feiras, Abdala Jamil Abdala, o movimento da feira cresceu do primeiro para o segundo dia. “Observamos um forte movimento de geração de negócios não só para Franca, mas para todos os polos calçadistas. Acreditamos ter atingido nosso objetivo, não apenas no que diz respeito à geração de negócios, mas também na disseminação de conteúdo relevante para o varejo e setor fabril em relação à atualização de mercado. Tenho certeza de que vamos alavancar negócios para o próximo semestre”, afirmou ao Acess.

Representantes de entidades de classe também marcaram presença no evento. Tirso Meirelles, presidente do Sebrae SP, afirmou que as modernizações promovidas para esta edição da feira trarão resultados positivos. “Francal sempre foi o expoente de todas as outras feiras, pois iniciou todo o processo de valorização das comercializações e aproximação dos produtores. Essa iniciativa de promover capacitação das indústrias para trazê-las até aqui, preparadas, e oferecendo toda esta estrutura, veio a agregar valor à feira e aos projetos financeiros que terão início, aqui”, afirmou.

De acordo com ele, este ano, o Sebrae e Francal fecharam uma parceria que resultou na formação de um protocolo que trabalhará toda a cadeia produtiva do calçado e assessórios em couro.

 

Visita do governador

O governador de São Paulo, João Doria, esteve na Francal no primeiro dia, quando participou de um encontro reservado com diretores da Francal e empresários, no qual esteve presente também o presidente da ACIF (Associação do Comércio e Indústria de Franca, Tarciso Bôtto, e seu vice, João Batista de Lima, que é um dos diretores da feira. “Foi um encontro muito produtivo. Na oportunidade, entregamos um ofício solicitando um encontro oficial para tratarmos de interesses de Franca”, contou Tarciso.

Após a reunião, o governador concedeu uma breve coletiva em que falou com otimismo sobre o setor calçadista. Indagado sobre a guerra fiscal que tem levado empresas francanas para outros Estados, Doria afirmou, categoricamente, que não pretende baixar impostos e entrar em uma guerra fiscal.

“Vou falar com toda a clareza: não vamos fazer redução de impostos. Vamos melhorar a eficiência para que o setor produtivo possa ter melhor qualidade, mais agilidade, menos burocracia e capacidade de exportação. Guerra fiscal é briga inócua e São Paulo não vai fazer isto e não precisa.”

Investimentos no sistema ferroviário, menos burocracias e acesso facilitado ao crédito são alternativas de incentivo apontadas por ele a fim de que as indústrias permaneçam no Estado, sem que seja necessário alterar a arrecadação de tributos.

O prefeito de Franca, Gilson de Souza, se mostrou solidário ao governador. “Tenho certeza de que as alternativas dadas pelo governador serão aplicadas rapidamente, fazendo com que as empresas permaneçam no Estado de São Paulo”, disse.

 

Fonte: FACESP

Redes Sociais