pt
Comércio Digital

7 tendências que devem impactar o varejo e o marketing digital em 2019

7 tendências que devem impactar o varejo e o marketing digital em 2019

Regulamentação Geral de Proteção de Dados, novas políticas para os gigantes da tecnologia, crescimento dos anúncios em vídeo, entre outros, devem marcar o ano.

 

Em um levantamento sobre quais serão as principais tendências e expectativas para o mercado de marketing digital em 2019, a Criteo, plataforma de anúncios para a Internet aberta, aponta mudanças tecnológicas para os varejistas e profissionais de marketing.

As previsões fazem parte do estudo Commerce & Digital Marketing Outlook 2019 e indicam que o segmento digital deve se preparar diante das oportunidades e desafios que surgirão.

Entre alguns destaques, a empresa orienta que as marcas busquem oportunidades para crescer fora dos “gigantes da tecnologia”, tendo um maior controle sobre os dados de seus clientes, entregando experiências de compra personalizadas e relevantes em todos os dispositivos e canais em que os clientes estão, bem como fornecendo experiências para inspirar os compradores com a otimização da estratégia de dados.

  1. O GDPR conduzirá a legislação de proteção de dados globalmente 

O GDPR, ou Regulamentação Geral de Proteção de Dados (em português), ganhou um bom apoio global desde a sua introdução na Europa em maio de 2018. Muitos líderes da indústria, órgãos comerciais e legisladores são agora a favor de estabelecer leis de privacidade semelhantes aos EUA e em outras regiões, dando aos usuários mais controle sobre seus dados.

Dessa maneira, os profissionais de marketing precisam gerenciar os dados de seu público com mais cuidado e oferecer aos usuários mais opções sobre o que acontece com essas informações que obtêm. O uso de práticas de gerenciamento de dados padrão irá reinstalar globalmente a confiança do consumidor e no marketing digital em 2019 – isso, por sua vez, beneficiará as empresas que oferecem mais transparência e escolha aos consumidores.

  1. Gigantes da tecnologia sob vigilância

Com uma série de incidentes de violações de dados, os gigantes da tecnologia passaram por uma análise mais profunda sobre como eles compartilham e protegem os dados dos usuários, suas pegadas corporativas e os impostos que estão pagando. Em 2019, espera-se que o Facebook, o Google e a Amazon apresentem novas políticas sobre compartilhamento de dados e privacidade do usuário.

Isso provavelmente levará essas empresas a estabelecerem controles ainda mais rígidos sobre os dados de usuários e as informações que eles compartilharão com os anunciantes. Sendo assim, eles terão que encontrar maneiras melhores e mais claras de obter o consentimento do usuário sobre como e para quais propósitos seus dados serão compartilhados ou usados.

  1. O gasto com anúncios em vídeo aumentará devido a mercados privados

E os aplicativos terão uma grande parcela dos orçamentos de publicidade em vídeo. Os marketplaces privados ganharão uma parcela crescente dos gastos com anúncios desse formato, já que os profissionais de marketing miram no inventário premium e no melhor desempenho exibindo anúncios com filme em sites de alta qualidade. Nos smartphones, o conteúdo de vídeo é visto pelos usuários principalmente por meio de seus aplicativos populares.

Por isso, os apps geram uma parcela cada vez maior de gastos com anúncios em vídeo. Em 2019, os PMPs impulsionarão mais gastos com anúncios em vídeo por meio de canais de publicidade programáticos. O inventário de vídeo da TV conectada (CTV) e Over-the-Top (OTT) está vendo uma demanda crescente e a tendência provavelmente se tornará superaquecida este ano.

  1. Marcas e varejistas se juntarão para capitalizar os dados omnichannel

Marcas e varejistas estão procurando oportunidades fora dos conhecidos gigantes. Muitos começarão desenvolvendo seus recursos omnichannel por meio da colaboração e do compartilhamento de dados. Os varejistas podem, por exemplo, compartilhar dados de POS e inventário em tempo real com marcas e ambos podem acessar as análises e insights para planejar promoções e eficiência operacional.

Para as marcas, os insights do consumidor são fundamentais para tomar as decisões corretas de investimento quando se trata de produtos. Os gigantes da tecnologia oferecem pouco para as marcas a esse respeito – e a colaboração com outros varejistas pode ajudá-los a acessar informações do consumidor em grande escala.

  1. Adoção ampla da IA no marketing digital

A Inteligência Artificial gerará mais gastos com anúncios por meio de canais on-line. Em 2018, várias empresas de marketing digital anunciaram seus investimentos utilizando-se dessa tecnologia para desenvolver soluções que oferecem personalização avançada e melhor engajamento do usuário utilizando o machine learning. A IA permitirá que os profissionais de marketing compreendam melhor seu público e forneçam mensagens altamente relevantes e personalizadas.

Veremos empresas com grandes conjuntos de dados e fortes capacidades de publicidade computacional começando a liderar o desenvolvimento e a oferta de soluções e sistemas de publicidade digital baseados nessa tecnologia para reduzir a fraude publicitária.

  1. As operações de anúncios digitais passarão mais das agências para a própria empresa

Soluções baseadas em nuvem e inteligência artificial permitirão que as marcas migrem cada vez mais suas operações de compra de mídia digital das agências para a própria empresa. O foco atual e os desenvolvimentos contínuos em torno da regulamentação dos dados do consumidor acelerarão essa tendência, pois as marcas e os varejistas desejarão ter maior propriedade e controle de seus dados de usuário.

Além disso, trazer operações de anúncios internamente pode levar a uma economia significativa de custos e a um tempo de resposta mais rápido. O controle sobre os dados do usuário será uma grande prioridade.

  1. Uso crescente de tecnologias de voz e visual no marketing digital

Combine relevância com conveniência. O uso de tecnologia visual e de voz (agrupada em sensoriais) no marketing digital se tornará mais aparente em 2019. Poucos texto e imagem podem prejudicar quando os consumidores pesquisam produtos. Com a pesquisa por voz, o envolvimento se torna mais conveniente e mais significativo para os profissionais do marketing e os consumidores em cada etapa da jornada de compra.

 

 

Fonte: Primeira Página, com informações da Criteo.

Redes Sociais

Assine nossa Newsletter

Fique por dentro das últimas notícias