Publicado em:
9
2/2018

Artigo: O futuro da moda: você, profissional, está preparado?

Gerente de Educação do SENAI CETIQT, Robson Marcus Wanka fala sobre o papel do profissional de moda frente aos desafios da revolução tecnológica.

Nos últimos anos, muitas carreiras profissionais passaram por mudanças. Algumas se adequaram aos novos tempos, outras sofreram transformações radicais, outras tantas foram extintas e muitas outras ainda surgirão. O mundo da moda passa por uma verdadeira revolução.

A 4ª Revolução Industrial, para ser mais específico, que já bate à nossa porta e nos mostra que a conectividade é a chave para o futuro. Com a explosão de tantas novidades, os profissionais do setor têm buscado especializações cada vez mais direcionadas à tecnologia, o que vem atropelando quem insiste em se manter parado no tempo.

A Confecção 4.0 é a grande novidade que marca a integração entre os espaços físico e virtual, os consumidores, os produtos, as máquinas, os softwares, os sistemas produtivos e a cadeia de fornecimento. Isso significa a produção de uma roupa cada vez mais personalizada e exclusiva, feita com a ajuda de diversos componentes tecnológicos.

Mas, diante de tanta robotização, sobra espaço para a interferência humana? Sim! E muito! Mão de obra específica para atuar na programação e no desenvolvimento de tais componentes ainda é escassa. Precisamos de cabeças pensantes para inovar e fazer com que todos esses equipamentos trabalhem em harmonia.

Já há no mercado cursos de formação de profissionais capazes de projetar a indústria do futuro em empresas de confecção, vestuário e têxtil, seguindo os moldes da Confecção 4.0. O objetivo é torná-los especialistas capazes de integrar tecnologias, gerando processos industriais mais eficientes, produtivos e sustentáveis.

Como dito anteriormente, a chave para o futuro é a conectividade e a integração de todo o processo produtivo. Além de levar inovação às empresas e ao mercado como um todo, a conectividade vai reduzir custos com mão de obra e tempo de trabalho, ao mesmo em tempo que deve favorecer maiores ganhos.

É importante ressaltar, portanto, que o mercado da moda vai buscar cada vez mais novos profissionais que saibam lidar com a tecnologia, que sejam capazes de alimentar a indústria com modernas ideias e, principalmente, que passem a atuar de acordo com as necessidades reais desse novo mercado. Até porque o público já vem mudando a forma de consumir.

Não há mais tempo para sair em busca da roupa perfeita enquanto se experimenta uma infinidade de peças. A consciência ambiental e a preocupação com o desenvolvimento sustentável também começam a fazer parte do cotidiano dos consumidores. Assim, os profissionais da moda precisam embarcar logo nessa nau futurística, se quiserem se manter no mercado daqui a alguns – poucos – anos.

Robson Marcus Wanka é gerente de Educação do SENAI CETIQT; formado em Engenharia Industrial Elétrica, com mestrado em Metrologia Científica e Industrial. Possui 20 anos de experiência em empresas multinacionais e nacionais de grande porte dos segmentos de tecnologia, infraestrutura, energia, educação e consultoria. Coordenou o projeto de implantação no SENAI CETIQT da primeira Planta Industrial de Confecção 4.0 do Brasil.

Fonte: Ex-Libris Comunicação Integrada